segunda-feira, 19 de outubro de 2009

para que vivas

Se por um caso souberes um dia
Que em meu peito já não mora a alegria
Porque a dor que me deixa descontente
Machuca-me por você está ausente

Se por um caso meus olhos não brilharem
E um silêncio lá no fundo revelar
São reflexos do que sente minha alma
Quando chora, balbucia, perde a calma

Se por um caso o teu contentamento
Só existe se houver o meu lamento
Nutrirei para que possa ser feliz

E se preciso for eu não mais viver
Esquecerei tudo que um dia eu quis ter
Sufocarei todos os sonhos que já fiz

Nenhum comentário:

Postar um comentário